Sobre amar a si mesmo

amor proprio

créditos na imagem

Uma vez eu escrevi todas as coisas que eu gostava/admirava na pessoa por quem eu estava apaixonada. Foi bonitinho e bacana. Cheguei ao número 98 em uma sentada. Só coisas fofas, eu não falei nada a respeito de pegada. Só coisas como o sorriso, ou jeito de cuidar de mim, e até a sede de aprendizado.

Hoje, eu decidi escrever (graças ao conselho de uma amiga) todas as coisas que eu gosto em mim. Consegui pensar em 40.

Olha, eu super indico esse exercício. Faça. Desde coisas simples como “Eu tenho um cabelo bonito” até coisas como “Eu sou esforçada”, ou “Sei reconhecer meus erros” e “sei ser empática”.

Ouça aos elogios que você recebe (“você é engraçada”, ou um “sua companhia é agradável” disfarçado de “Você tinha que ter ido”/”Promete que vai com a gente? Vai mesmo, ein?”), e aceite. E tome para si. Se olhem no espelho e tentem enxergar a beleza que aparece ali. E abracem ela.

Amar-se é muito mais difícil do que amar aos outros. De repente, a/o crush parece ter mil qualidades, enquanto você parece não ter nenhuma.

“Mas pelo amor de Deus, (insira nome de alguém famoso que você adora) com tantas qualidades e eu aqui, sem nenhuma!”.

Quando tentamos pensar em nossas qualidades, os defeitos aparecem, junto com a auto-crítica, e começam a rondar os seus pensamentos. Mas não ouça os defeitos. Todo mundo tem defeitos. As suas qualidades são suas. Algumas, são APENAS suas.

Eu tenho um olho de cada cor, e acho isso o maior charme. E isso é uma coisinha só minha (mais íntimo ainda, porque como são cores próximas, só percebe quem ouviu de mim). Essas coisinhas têm que entrar na lista, também.

Faça isso para você. Por você. Pense nas suas peculiaridades, nos elogios que já recebeu. E abrace-se. Juro que a sensação é boa ❤

Anúncios

Maria Baderna: A Bailarina dos Dois Mundos (Resenha)

9788501058034

Maria Baderna: A Bailarina dos Dois Mundos, por Silvério Corvisieri

A palavra “baderna” não é apenas sinônimo de conflito e desordem; é sinônimo, também, de tudo aquilo que, para a moral do dominante, representa transgressão. A origem desse termo vem do sobrenome de uma mulher que “fez furor” no Rio de Janeiro, e revolucionou a ideia brasileira de arte.

Marietta Baderna foi uma bailarina italiana que decidiu vir ao Brasil, abandonando todo o nome e a carreira (astronômicos, diga-se de passagem) que já havia conquistado em Milão e Londres. Baderna viveu, no Rio de Janeiro, seu amor pelo Brasil, triunfos teatrais, o papel de símbolo da juventude romântica e irrequieta, entre tantas outras coisas. Para ela, os anos de glória foram intensos, mas infelizmente seguidos pelos anos de decadência em que apresentou-se em minúsculos teatros em longínquas províncias brasileiras.

Continue lendo

Gente, vai ter textão, mas é textão importante (juro!)

aartedaimperfei25c325a725c325a3o

Seguinte: Eu to lendo um livro chamado A Arte da Imperfeição (“Abandone quem você acha que deve ser e seja quem você realmente é”). Sim, é exatamente o que o livro dá a entender que é: um livro de auto-ajuda. Eu sempre tive muito preconceito com livros de auto-ajuda, e nunca quis ler um. Na verdade, eu sempre achei que livros desse tipo eram pra gente fracassada, que precisasse de um livro com frases positivas e otimistas pra seguir em frente. Sempre achei que as pessoas que liam esses livros eram fracas e não conseguiam segurar a onda. Sempre me convenci de que eu poderia segurar a onda sem precisar de alguém repetindo pra mim o quão poderosa eu sou e blá-blá-blá.

Recentemente, um meme explodiu: o “Diferentão/Diferentona”, que consiste em zoar quem se acha único. Surpresa: nem todo mundo sabe que não é o único. Nós vivemos numa sociedade em que conceitos são definidos pela mídia. E, na mídia, pessoas sem pele oleosa ou espinhas usam produtos de beleza para espinhas. Pessoas bronzeadas usam bronzeador. Pessoas de cabelo brilhoso usam produtos para o cabelo brilhar. Nas novelas, todo mundo namora e quem não namora é infeliz. Todo mundo tem cabelo bonito e pele perfeita. Personagens fora do padrão de beleza (quando tem algum) costumam aparecer pouco e/ou sofrem certo ostracismo. Nas novelas, pobres têm casas enormes e ricos estão por quase toda parte.

Nós somos bombardeados com exemplos que não nos contemplam. E todo mundo tenta disfarçar isso. Ninguém quer mostrar infelicidade em ser solteiro. Ninguém quer mostrar que tem problemas no relacionamento. Ninguém quer mostrar que se sente infeliz com o próprio corpo. E, muitas vezes, ninguém mostra.

Então não, nem todo mundo sabe que tem gente passando pela mesma situação. Nem todo mundo sabe que não está sozinho. E quando a gente vive numa sociedade que vive nos dizendo que não somos o suficiente, ter alguém dizendo que está tudo bem em ser imperfeito (porque todo mundo é imperfeito) pode ser exatamente aquilo a gente precisa. E não há vergonha em querer ouvir isso.

Eu sei que quase ninguém vai ler isso até o fim. Mas gostaria que todo mundo lesse. Porque você merece saber que aquela pessoa que parece descolada e perfeita também pode sofrer de ansiedade, como você. Aquela pessoa que você considera perfeita também pensa duas vezes antes de tirar a roupa pra ficar com roupa de banho na piscina. Aquela pessoa suuuuper transuda também tem um medinho de levar um “não” na balada. E aquela pessoa que te chamou de escrote às vezes se olha no espelho e não gosta do que vê.

Então não tenha vergonha de ter falhas. Não tenha vergonha de ser o tipo de pessoa que anda que nem um pato quando coloca salto alto, porque têm mais gente que passa por isso. Não se cobre por não dançar que nem as gurias do “The Movement” (que dançaram Sorry, do Justin Bieber), porque porra! Você tem idéia que quase ninguém dança daquele jeito? Pode dançar mal, foda-se!

Tá tudo bem em ter imperfeições. Todo mundo tem, mesmo que escondam. E você não precisa esconder as suas. Às vezes você pode ajudar alguém a se sentir menos sozinho. Por essas e outras falei algumas coisas que sinto e penso, aqui. E eu sei que isso é um puta textão.
Mas aposto que você se sentiu menos sozinhe de ler isso até o fim. Eu ficaria 🙂

Vou comentar mais a respeito do livro em Breve 😉

Sobre Trovadorismo

Pois bem, povo… Disse que postaria um vídeo aqui, certo?
Certo! Tá aqui! Este não é nem o primeiro que eu postei (é o número 12, dá pra ler…) nem o último (acho que já estou no número 14… Dá uma olhadinho no vlog!) mas é um dos meus prediletos!

Aproveitem!

Vida de Vestibulando…

Paaaara quem não percebeu que eu não postei nada desde janeiro…

Então… Eu não tenho postado nada! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Agora que quem não tinha percebido foi informado, explico o porquê…

Sei que nem sempre fui exatamente um blogueira assídua… No entanto (!) eu tenho uma boa razão para isso:

TENHO ESTUDADO COMO CONDENADA!

Caso algum de vocês não saiba (e a maioria provavelmente não sabe), eu vou prestar Letras, na USP… O que significa que há uma lista de 9 livros para eu ter lido e uma quantidade ENORME de exercícios para eu ter praticado ATÉ O DIA DA FUVEST!

Tá foda, gente!

Porém, Contudo, Todavia, Entretanto…

Tenho me empenhado em um projeto paralelo, que tem me ajudado a estudar (além de ajudar outras pessoas também!), e acho que seria legal compartilhar aqui…

Talvez vocês se lembrem do meu vlog antigo… Saaaaabe aquele, do meu 1º Ensino Médio, em que eu não falava nada de útil? Pois é…

Você se torna uma pessoa muito chata quando vira um vestibulando, confie em mim… Sério! Tipo: tomando chá (imaginando as reações químicas), ouvindo uma data aleatória ( e pensando em todo o contexto histórico em torno daquela data), tentando arrastar os móveis (e calculando a força do atrito)…

Até nas coisas mais simples, você pensa em Vestibular!

Pois é… Meu novo Vlog é, em maior parte, sobre matéria escolar, mesmo… Predominantemente História e Português…

Ele já está meio adiantadinho, mas eu vou divulgar aqui, não se preocupem!

Estou trabalhando no próximo vídeo, já (Revolução Russa + A Revolução dos Bichos)…

Para dar uma olhada no Vlog, vai na página (logo ali em cima)… Os vídeos estão todos lá (na ordem, de cima para baixo).

Até a próxima! o/

Wow…

Eu acabei de dar uma olhadinha na minha caixa de Spam… Bom… O wordpress é bem maldito, na verdade… Comentários super lisonjeiros estavam escondidos lá e eu nem havia visto…

Obrigada mesmo, povo.

________________________________________________________

I just took a look at my Spam box… Well… WordPress sucks, actually… Super flattering comments were hiding there and I haven’t seen it…

Thank you, guys… Thanks a lot.

Minha Formatura (19/12/2010)

Olá! Bem… faz muito tempo desde a última vez que eu postei aqui, né? Mas, honestamente, eu acho que tenho um bom motivo: Tenho passado muito tempo preparando-me pra um certo evento….

Ontem foi um dia muito especial na minha vida, sabem… Foi minha formatura da 8ª Série!!! Nossa!!! Foi muito divertido! Meu tio fez um vídeo dela pra mim! Vou colocar o vídeo aí embaixo, para que vocês possam se divertir, foi super legal! Espero que vocês gostem!!! (blog do meu tio : http://felipe.blog.br/]